Início | Mercado | Entrevista Especial Richard Cameron NVIDIA

Mercado

Entrevista Especial Richard Cameron NVIDIA

Virginia Santos

Publicado em 06/10/2017 às 14:58

NVIDIA indica qual caminho o canal deve seguir para ter êxito no universo gamer

Na operação da NVIDIA, Richard Cameron, country manager, tem o desafio de atender o crescimento das companhias que procuram a empresa para entrar no setor que é um dos mais promissores do Brasil.

 

Presente no mercado nacional há mais de uma década, a companhia disponibiliza plataformas especializadas para o setor de games, visualização profissional, data center e automotivo, e aposta em megatendências como realidade virtual, inteligência artificial e carros de autocondução.

 

Considerada referência no setor gamer, a NVIDIA é pioneira no desenvolvimento de soluções de computação visual: a arte e a ciência dos gráficos para os computadores.

Para termos ideia do potencial do segmento, só no ano passado, de acordo com o site Newzoo, o mercado de games gerou aproximadamente US$ 100 bilhões mundialmente. Diante desses números, conversamos com o executivo da companhia sobre as novidades da área e a performance da empresa no país.

 

 

PS: Como a NVIDIA avalia o mercado de jogos para PC no Brasil?

Richard Cameron:A NVIDIA é líder em processadores gráficos (GPUs) para games. No país as vendas de GPUs GeForce GTX cresceu mais no último ano do que em toda a história da NVIDIA desde 2015. Isso é reflexo do aumento do mercado de PC gaming no mundo, mas principalmente um momento extremamente favorável no Brasil onde o crescimento superou por uma larga margem o crescimento visto no resto do mundo. Uma pesquisa do Gartner aponta que enquanto a venda de PCs sofre um declínio de perto de 10% ao ano, já as vendas de PCs desenvolvidos e comercializados para jogadores anda na contramão da tendência do mercado de informática, e cresce a quase 7% ao ano. Ou seja, o mercado de PC gaming tem autonomia e dinâmica própria. 

 

O estudo Games Brasil aponta ainda que o PC é a segunda plataforma mais popular no país, com 66,9% e só perde para os smartphones, que lideram a preferência do brasileiro com 77,2%. O PC, definitivamente, está se tornando  a plataforma preferida para jogar no mundo todo, e no Brasil não é diferente.

 

PS: A que podemos atribuir o sucesso dos PCs para os gamers em relação aos consoles?

RC: O brasileiro está cada vez mais descobrindo as vantagens de se jogar no PC. E a oferta de PCs para jogos equipados com GeForce GTX Série 10 está maior do que nunca com a entrada de grandes marcas multinacionais, bem como o crescimento das ofertas de desktops fabricados por marcas locais que se especializaram na área gamer e hoje colhem os frutos de um mercado em rápida expansão. Há também uma oferta crescente de placas de vídeo de última geração, através de grandes varejistas online, para atender o publico que ao invés de comprar um PC pronto, prefere comprar a placa de vídeo e atualizar seu PC com uma GPU de última geração e assim aproveitar os últimos lançamentos de games. Neste quesito a GeForce GTX  1050 tem sido a querida dos brasileiros, que podem instalar em seus PCs Dekstops até mais antigos, sem complicação de ter que trocar outros componentes. O Upgrade ficou mais simples do que nunca. 

 

PS: Fale-nos um pouco sobre o portfólio da NVIDIA?

RC: Falando especificamente sobre produtos NVIDIA, a GeForce GTX é a GPU número 1 entre jogadores do game Steam, é a plataforma oficial dos principais campeonatos de eSport pelo mundo e também a marca mais admirada e desejada por PC gamers pelo mundo. Hoje possui mais de 80% de fatia de mercado entre os gamers no Brasil, de acordo com dados de importação da Receita Federal.

 

E o PC também cresce como ecossistema, com seis razões primordiais:

1. Quantidade de lançamento de games: Hoje a quantidade de jogos lançados a cada mês para PC é maior do que jamais se viu. Hoje vemos em média 5 grandes lançamentos por mês na plataforma PC e, enquanto há pouco menos de 3 anos tínhamos 1 por mês em média. Há também o fato de que o preço desses jogos para PC sempre são mais baratos que em consoles, sem considerar as promoções incríveis das paltaformas de jogos Steam, Nuuvem e outras.

 

2. Exclusividade de Jogos:  o PC é de longe a plataforma com a maior variedade de jogos exclusivos nesta plataforma. Além disso, está recebendo muitos jogos que antes eram específico para consoles. Um dos exemplos é Destiny 2, mas vimos nessa atual geração muitos outros jogos incríveis, como Street Fighter V, Gears of War 4 e, em breve, teremos Forza Motorsport 7. Enquanto os consoles brigam pelos exclusivos, o PC recebe os melhores jogos de ambos. Fora os jogos independentes, criados por pequenos estúdios, com pouco investimento, mas com muita criatividade para inovar.

 

3. Plataforma aberta: O PC é uma plataforma aberta e isso faz com que haja uma infinidade de opções de hardware desenvolvido para esta plataforma, tornando a experiência muito mais rica e também fazendo com que novas tecnologias cheguem sempre primeiro na Plataforma PC e em seguida nas outras. Um exemplo disso é o DirectX 12 da Microsoft e também a Realidade Virtual. Como os gamers são sedentos por novidades, adotam o PC para ter acesso a tecnologia antes que os outros.

 

4.Fenômeno do eSport:  com o surgimento dos eSports, os games evoluíram para se tornarem fenômenos de espectadores com transmissão cada vez maior em canais que antes só cobriam esportes tradicionais, o número de espectadores também vem crescendo.  E os principais títulos de eSports como League of Legends, Dota 2 e Counter-Strike são exclusivos para PC. Estima-se que 40% das pessoas que assistem, não jogam, mas com o tempo acabam se interessando em jogar. É o tipo de jogo que aumenta o interesse pela plataforma e assim atrai novos jogadores e consumidores a cada dia.

 

5. Qualidade Visual dos Games de Última Geração: A atual geração de jogos teve um salto imenso em realismo gráfico e físico em relação à geração anterior e portanto exige, em média, três vezes mais poder de processamento gráfico do  que os lançados até 2015. Isso significa que de lá para cá, os jogadores têm buscado cada vez mais atualizar suas GPUs para conseguir jogar os últimos lançamentos em resoluções Full HD ou superior, com configurações gráficas altas e a uma taxa de 60 quadros por segundo ou mais.

 

6. GeForce GTX como Plataforma de games: Mais do que oferecer altíssimas taxas de quadros por segundo nos jogos, GeForce GTX  é uma plataforma de games indo muito além do puro poder de processamento gráfico. Com a plataforma GeForce GTX gamer há efeitos visuais incríveis como os efeitos do GameWorks, que são tecnologias visuais inovadoras  que a NVIDIA disponibiliza para as desenvolvedoras criarem os ambientes mais realistas possíveis e que o comportamento de objetos dentro dos jogos obedeçam as leis da física. O gamer com GeForce GTX  se beneficia também do software  GeForce Experience que entrega recursos como a atualização automática dos drivers de vídeo no dia do lançamento dos últimos jogos; configuração automática dos jogos para o hardware do jogador para que tenha a melhor experiência visual e melhor taxa de quadros por segundo e também as funcionalidades do Share que permite ao gamer gravar sua jogatina ou transmitir ao vivo para a Internet e Facebook.

 

PS: O que o canal deve fazer para se tornar especialista no segmento de games?

RC: Quando falamos do setor gamer, diferente do mercado de informática, o primeiro item que todo gamer procura numa máquina é a Placa de Vídeo e em seguida analisa os outros componentes, pois sabe que  a GPU é o principal processador responsável pela performance e qualidade visual dos jogos. O canal de informática tem dificuldade de assimilar este comportamento, pois contraria tudo que aprenderam ao longo de muitas décadas vendendo componentes e computadores para uso doméstico e comercial. O gamer compra de uma forma diferente.

 

No Brasil, temos 47 milhões de jogadores na plataforma PC, sendo que 22 milhões destes compram jogos. A maioria das pessoas têm pouco ou nenhum conhecimento de informática, mas conhecem muito dos games que gostam de jogar. Então as revendas precisam pensar no PC Gamer como um produto diferente, que serve principalmente para jogar, então não estamos falando de informática, mas de jogo. Fabricantes que pensaram no PC Gamer como um produto de informática, e apenas focaram no hardware, sem se preocupar com as exigências dos games e as expectativas dos jogadores, fracassaram. No mundo dos games, os jogos vem sempre em primeiro lugar e são estes que ditam a configuração que cada fabricante deve oferecer. A fatia dos gamers que entendem dos bits e bytes da informática é um nicho pequeno quando comparado ao mercado de jogadores como um todo. A revenda que vende apenas por configuração técnica irá fracassar.

 

Sendo assim, o canal deve antes de mais nada aprender sobre os games e as exigências de hardware de cada jogo. Precisam também jogar mais. É importante jogar o que o cliente gosta para entender melhor como abordá-lo de maneira mais assertiva. A revenda tem que saber: qual é o jogo mais jogado? É necessário saber antes sobre os games mais procurados e qual hardware é necessário para rodar esses jogos. Isso é muito importante.

 

Uma dica para o sucesso nesse mercado é que as revendas se especializem em montar PCs para jogos ao invés de venda de componentes. As revendas têm dificuldade para vender hardware separadamente por não ser tão lucrativo. A NVIDIA sugere que as revendas se especializem em montar máquinas gamers para venderem a experiência. Nesse caso, o valor atrelado é mais subjetivo, pois o canal oferece não somente um produto, mas um pacote que inclui a expertise de montagem, o design diferenciado, o atendimento e outros fatores que podem determinar a escolha e fidelização do cliente. Um exemplo bem sucedido da NVIDIA é o Moba Box, que foi um produto mais bem aceito no Brasil e representou um aumento de 270% de vendas nos últimos anos. Trata-se de máquinas com configurações pré-estabelecidas pela NVIDIA e oferecida por fabricantes autorizadas, dedicadas especialmente para jogadores de jogos do gênero MOBA (League of Legends, Dota 2 e Heroes of the Storm). Por serem máquinas recomendadas pela NVIDIA para jogar Moba, os jogadores que curtem esses games já sabem que essas máquinas cumprem os requisitos recomendados.

voltar

Titulo: Entrevista Especial Richard Cameron NVIDIA

Destinatário(s)
Seus dados
Código de Validação:*
(*) Preencha o código de validação corretamente.

Titulo: Entrevista Especial Richard Cameron NVIDIA

Mensagem de Erro

Esta é a área central para comunicação entre revendas, distribuidores e fabricantes com a equipe da PartnerSales.
Incentivamos as mensagens de nossos leitores com sugestões de pautas, críticas, elogios ou reclamações.

Seus dados
Código de Validação:*
(*) Preencha o código de validação corretamente.

© Copyright PartnerSales - O site focado em parcerias de negócios e estratégias de vendas. Todos os direitos reservados. Outros nomes de companhias, produtos e serviços podem ser marcas registradas ou marcas de serviços de outros.

Sydow Marketing